domingo, 26 de outubro de 2014

Adaptação

 Desde o início eu sabia que  a Alemanha era o lugar que Deus queria que eu estivesse, desde o começo eu senti paz. As vezes eu contemplo tudo que Deus tem feito aqui para mim e sei que é puramente pela graça ( favor imerecido) não mereço nada  do que Deus tem   feito.
Mas a adaptação não é fácil.  Já tem alguns dias que choro copiosamente  nas  noites após o trabalho que entro para meu quarto e não  tem minha mãe, minha família e  ninguém para conversar, não existe  muitas pessoas que posso ligar. Há pouco tempo eu disse: Eu vou embora, não agüento mais... já estou sem forças.
 No próximo dia recebi uma ligação no fim de semana  de um convite para eu  e mais algumas pessoas da igreja ir ao shopping  jogar boliche, fiquei com dúvida se deixava  minha cama gostosa e meu pijama que não tirava há dois dias ( credo)  ou se eu iria mesmo. Mas para não fazer uma desfeita  eu disse que sim.
Eu não ganhei o boliche se é isso que vocês querem saber... Mas ganhei algo que eu amo demais.. Eu sou uma mulher super curiosa por histórias de vida alheia ( num é fofoca não e sim  historias de vida sabe? Tipo detalhes de minha vida – sandes Junior amigo da gente kkkkk murri),   e uma mulher  da igreja ao qual não conheço muito    mas  tenho um carinho  grande por ela,  é  uma africana e  eu me identifico muito com essa nação.  Depois do boliche  sentamos na mesa para bater um papo e ela me perguntou  quanto tempo vou ficar aqui, quais são meus planos e etc.. etc... e eu lancei a pergunta  porque gosto muito de historias ( acho que se eu fosse da época em que Jesus estava na terra eu adoraria porque as parábolas  contadas por Cristo sempre me encantam )  - Porque você veio para a Alemanha e como vc conheceu seu esposo .. a historia dela era linda demais.. Não tinha mãe e pai e nem irmãos  porque todos morreram e ela foi criada em um orfanato, não tinha documentos e uma das frases que me impactaram foram: - Quando eu fui para a escola  eu percebi que meus colegas tinham pai, mãe e irmãos mas eu não sabia disso porque   fui criada em um orfanato e eu pensava que todos do mundo viviam do mesmo modo que eu, claro que fiquei triste mas  eu me lembrei que tinha Jesus  e eu disse para ele. Eu não tenho família mas  quero que a partir de hoje  você seja  minha família.
Sabe, Débora  quando eu estou me sentindo sozinha eu  falo com Deus, quando eu não tenho ninguém para conversar eu converso com Deus, quando eu não tenho amigos eu  passo tempo com o senhor porque ele é meu melhor amigo.
NOOOOOSSSAA vixxi quebrou meus dentes no meiooo kkkkk
E ao final da nossa conversa boa demais da conta que teve muito mais coisas  ela disse: Deus que me trouxe aqui para conversar com você sobre isso. E eu disse : Pode ter certeza que sim.
Tem um hino do Marquinhos Gomes  que diz assim: “ Levante os seus olhos e  veja o sobrenatural, quem tem promessa de Deus vence o mal”
 Talvez o maior mal que tenho sofrido é a solidão  e  a cultura  super MEGAAA diferente... Mas já está vencido! Tudo tem me feito crescer e amadurecer
Ummm bezo gentemmm

Saudadess desse nosso Brasil...
Postagens mais recentes Postagens mais antigas Página inicial

Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Copyright © Olhares e Vivências de uma Aprendiz | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes