sábado, 10 de julho de 2010

Tráfico de pessoas

Olá, amigos!
Estamos escrevendo um artigo cientifico cuja temática é : Tráfico de mulheres em Goiânia, nosso enfoque é na assistência á essas mulheres que chegam ao Brasil e são tanto os questionamentos como: Porque Goiânia é a cidade mais visada para o tráfico de mulheres? As mulheres são mais bonitas? As mulheres têm menos conhecimento sobre esse crime? Quais são as possíveis vítimas? E seus perfis? Interior? Capital? Elas recebem assistência quando chegam (psicológica, social, saúde)? Ou são discriminadas?... Mais o que mais nos incomoda atualmente é o motivo da escolha da cidade de Goiânia para o tráfico.
Mesmo com um número que nos assusta, poucas pessoas tem o conhecimento do que seja tráfico de pessoas e ou mulheres. Por isso irei nesta postagem esclarecer algumas dúvidas colocando conceitos e estatísticas sobre a temática. Devo enfatizar que sou uma aprendiz e o tema até então me traz muitas dúvidas. há 1 ano e meio começamos a pesquisar, já estamos na etapa de entrevista com as vítimas, pensei que teria respostas mais confesso que milhares de dúvidas borbulham e fervilham em minha mente literalmente.
Então vamos aos conceitos:
O tráfico de mulheres, um crime transnacional, movimenta um mercado
altamente lucrativo, perdendo apenas para o tráfico de drogas e armas e, neste sentido,
deve ser considerado como violação dos direitos humanos. Estima-se que a maioria é
oriunda do Leste Europeu, da África Ocidental, Leste Asiático e América Latina
(LEAL, 2002).
No Brasil, o tráfico para fins de exploração sexual comercial é predominantemente de mulheres e adolescentes afro descendentes, sendo que a faixa etária de maior incidência é de 22 a 24 anos e de 15 a 17 anos, respectivamente. Geralmente são oriundas de classes populares, apresentam baixa escolaridade, habitam espaços urbanos periféricos com carência de saneamento e transporte. (LEAL & LEAL, 2002).
As mulheres são as maiores vítimas destes casos, por serem consideradas frágeis, subalternas; e na maioria das vezes são de camadas populares, possuem ocupações mal remuneradas, problemas familiares, e se sujeitam ao tráfico como a única oportunidade de melhorar de vida ou pelo deslumbre de ganhar dinheiro em curto tempo (CASTILHO, 2008).
Neste sentido, o tráfico é um problema social grave do nosso país atualmente, pois envolve transporte de pessoas por meio de coerção ou engano para inseri-las em condições de vida ou de trabalho exploradores, incluindo a exploração sexual (PISCITELLI, 2007).
No campo assistencial observa-se que os profissionais da área de saúde têm dificuldades em trabalhar questões percebidas como culturais, sociais e até psicológicas, em virtude do cuidado prestado estar sendo mecanizado e focado na doença propriamente dita(...)ao aplicar a idéia de doença à violência, podemos implicar a idéia de vitimização, reforçando a idéia de que as mulheres nessas situações seriam sujeitos incompletos, que necessitariam de uma proteção especializada (SCHRAIBER, OLIVEIRA, 1999).
Pelo fato de alguns casos de tráfico de mulheres serem para fins sexuais, muitas
mulheres ao voltarem ao país de origem podem apresentar diferentes problemas de
enfrentamento e aceitação na sociedade, terem suas expectativas para mudança de
emprego frustradas, desencadeando muitos problemas sociais,e psicológicos para as
mesmas. É o que denomina-se de dor social. A dor é um fenômeno evasivo e complexo,
apesar de sua universalidade, sua natureza exata permanece um mistério.É um dos
mecanismos de defesa do corpo que indica que a pessoa apresenta um problema
(TAYLOR, LILLIS, LE MONE, 2007 )

Você que tem interesse nessa temática
Foi feita uma convenção nas Nações Unidas onde elaborou-se um protocolo chamado protocolo de Palermo, trata-se de um protocolo conceitual que auxilia ás possíveis vítimas levadas para outro país para fins de exploração sexual ou outro trabalho exploratório veja no link: Protocolo de Palermo
Em 2009 escrevemos alguns Anais na internet que apresentamos em um evento
O passo o site para visualizarem todos os trabalhos apresentados: Vozes Plurais
E o meu: Débora Taynã
E dos meus amigos que fazem parte do projeto:Leonardo Freire,
juliana Saturnino


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Teste Teste Teste Teste

Copyright © Olhares e Vivências de uma Aprendiz | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes